segunda-feira, 25 de agosto de 2008


Querida Amelia,


Como eu odeio estas viagens, elas são um verdadeiro calvário. Eu estou mais uma vez na cinzenta Londres, para mais um extenuante tratamento médico. Mais um caro, inútil e doloroso tratamento. Não sei o porquê de meu pai me obrigar a passar tudo isto novamente. Além de ter de passear, na minha marcha militar habitual, próximo ao nojento rio Tâmisa sempre que tenho que ir ao consultório do Dr. Smith. A quantidade de fumaça das fábricas e cheiro do rio me causam náuseas. Não entendo, sinceramente não entendo, eu não preciso disto para passar o dia dentro de um escritório cuidando das contas da família. E se não fosse com este intuito, para que ele pagou tão caro pelos meus estudos? Com certeza não foi para colher folhas de chá. Muitas vezes eu pergunto por que Deus foi fazer isso comigo, qual o grande plano Dele para a minha miserável existência. Estes dias eu tenho pensado que talvez devesse ter estudado medicina para poder ter alguma utilidade para mamãe. Estou cansando de ser um peso para todos ao meu redor. E não sei como você consegue ser tão indiferente a isto.

Mas vamos falar de coisas menos desagradáveis. Estou começando a sentir falta do cheiro das folhas de chá e do ar puro. A falta de sua companhia também tem contribuído para deixar-me ainda mais deprimido. Quero voltar, o mais cedo possível, a passar as tardes conversando em seu belo jardim. As lembranças de nossas tardes tem me sido um bálsamo estes dias. Você já terminou aquele último livro que eu emprestei-lhe?

Sim, eu já ia me esquecendo. Você tem falado com Elise? Ela passou as últimas semanas importunando-me bastante. Eu quero muito bem a ela e acredito ter me excedido ao descarregar meus problemas. Mas minha prima pode esperar, quando eu retornar hei de resolver tudo.


Saudades,


Simon.


7 comentários:

Marina disse...

Ele parece bem esquentado mesmo. Elise já tinha deixado isso claro, mas agora ele mesmo confirmou.

Bruno Malveira disse...

Coitada da Amelia... Ler uma carta cheia de reclamações....

ahahahaha

Léo Marcondes disse...

Marina,

Apesar de ainda não ter comentado aqui, já dei uma passada e achei muito legal a proposta!
Estou gostando do desenrolar da história toda. Com essa ficção, assim como nas outras, encontramos muito sentido na nossa realidade.
E é claro que pode linkar o blog! Fico satisfeitíssimo!

Rodrigo disse...

Este blog será indicado para o Blog Day 2008 no Blog Informação Virtual.

Abraços!

pensador made in vaso disse...

q viagem este blog, emoções e cheiro humano na pura e real ficção da comédia trágica da vida.

abraços libertários

Luis Eustáquio Soares disse...

marina, viajar, perder países, ser outro constantemente, porque a alma não tem raízes, é sempre muito bom... e ao menos rende belos textos, como o seu
b
luis de la mancha

Jerri Dias disse...

tá linkado.